©
Algumas mágoas tem âncoras, ficam presas em nós.
- Clarissa Corrêa. (via auroriar)
Então é isso. Sábado à noite. Gente bebendo, transando, dançando. Ou, no meu caso, gente sentada na varanda, sozinhos em casa, tentando pôr em ordem o caos interior e transformá-lo em prosa. Colecionadora de palavras, é assim que eu me chamo. O próprio nome já diz: coleciono palavras. Coleciono porque acredito que um dia irei despejá-las em algum lugar. Nesse caso, estou despejando em um caderno com rabiscos aqui e ali. É assim que eu me sinto, rasurada. Cheia de feridas com um pedacinho de esparadrapo em cima como se fossem rabiscos, pra ninguém ver o defeito que tem em baixo. Estou aciosa pelo domingo. Sempre vou dormir pensando que o dia seguinte será diferente, mas nunca é. Não sei como, mas isso me surpreende. Isso de achar que tudo vai mudar de uma hora pra outra. Bom, vou dormir com esse mesmo pensamento hoje. Quem sabe ao invés de acordar em um domingo chato, eu acorde em uma bela manhã de sexta feira.
- Palavrisses  (via renunciador)
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música e quem não acha graça de si mesmo.
- Martha Medeiros.  (via con-seguindo)